Páginas

30 outubro 2013

O AMOR CANINO HUMANO


Grande parte dos seres humanos ainda ama igual um cachorro.


Quando o cachorro gosta de alguém:

Faz uma grande festa (principalmente com os que os alimentam, lhes dão carinhos, brincam com eles): late feliz, abana o rabo, pula, quer colo, lambe, a festa é total!

Quando o ser humano gosta de alguém:

Aos que satisfazem seus desejos egoístas; concordam com suas opiniões; se submetem aos seus desígnios; acatam suas ordens; ofertam-lhes elogios; estimulam seu narcisismo, seu poder; reconhecem sua pseudo sabedoria, sua beleza; ou seja, concordam e se submetem a este, a festa é a mesma: abraços, beijos, convidam para a sua casa e baladas, falam da sua personalidade altruísta e solidária, ligações diárias, fazem declarações no facebook, curtem, compartilham e marcam suas fotos, e por aí sua imaginação acrescenta.

Quando o cachorro não gosta de alguém ele age de duas formas:

01 – fica lá, quieto no seu canto, “malemar” abana o rabinho, está “cansado”.

02 – ou ele investe agressivamente no fulano dando-lhe uma mordida, ou espera o fulano passar e por detrás lhe dá uma bela mordida onde seu tamanho alcançar.

Quando o ser humano não gosta de alguém ele age de duas formas:

01 – São principalmente indiferentes, apenas olham de canto para saber quem chegou, esse não fede e muito menos cheira, nada pode lhe acrescentar, me oferecer, pois não é capaz de proporcionar os ganhos que busca. Normalmente essas são as pessoas invisíveis, que estão “abaixo” do seu conceito de nível social, intelectual, religioso, cultural ou qualquer outro, ou que tem pareceres, concepções e valores diferentes dos seus, ou ainda, são capazes de mascará-losa si mesmo.

02 – O ser humano, dito racional,amoroso e evoluído, aos que rebatem suas opiniões, criticam suas “verdades”, não satisfazem seus desejos, não lhe oferecem reconhecimento, elogios; não satisfazem suas carências; não curtem ou compartilham seus posts no facebook; mostram (por projeção) suas tendências maldosas ou se mostram mais competentes, saem a forra: ou partem para a “briga” com seus superiores argumentos, xingamentos, agressões verbais e físicas; se dizem magoados, vitimados, injuriados pelo outro (faz isso com aqueles que acredita estar em nível inferior ao seu) ou (quando o outro está acima dele e tem algo a perder) age por detrás, difamando, trapaceando, plantando fofocas, falando mal pelas costas.



“(...) assim caminha a humanidade com passos de formiga e sem vontade.” (Lulu Santos)






Pense nisso!!!!

Forte Abraço!!!

Adilson Costa
Psicanálise & Terapia

Nenhum comentário:

Postar um comentário